IBOV

80.742,35

0,56%

454,34

DJIA

23.775,27

0,62%

147,03

SSE50

2.908,48

0,57%

16,69

DAX

12.530,16

1,51%

188,99

MERVAL

46.471,06

5,19%

2410,12

IDIV

5.762,48

1,06%

61,03

IFIX

2.813,16

0,00%

0,01

USD-BRL

5,39

2,79%

0,1501

EUR-BRL

6,38

2,68%

0,1710

BTC

59.055,21

0,25%

150,4218

IBOV

80.742,35

0,56%

454,34

DJIA

23.775,27

0,62%

147,03

SSE50

2.908,48

0,57%

16,69

DAX

12.530,16

1,51%

188,99

MERVAL

46.471,06

5,19%

2410,12

IDIV

5.762,48

1,06%

61,03

IFIX

2.813,16

0,00%

0,01

USD-BRL

5,39

2,79%

0,1501

EUR-BRL

6,38

2,68%

0,1710

BTC

59.055,21

0,25%

150,4218

Ícone Usuário

BLOG

Como Analisar Ações em 11 Passos Simples

Capa do post

Sem dúvidas, uma das perguntas mais comuns para todo novo investidor é Como Analisar Ações de forma rápida, prática e segura.

Entendo que essa questão seja tão importante. Até porque, este é um dos maiores medos das pessoas quanto ao Mercado de Ações, já que tanta gente diz que a análise é complicada, muito difícil, entre outros adjetivos que em parte eu discordo.

A verdade é não é tão difícil assim. Se você não quiser fazer a análise sozinho, pode contar com ferramentas automatizadas que fazem praticamente todo o trabalho pra você.

Porém, é claro que, mesmo usufruindo de uma ferramenta, é fundamental que você saiba compreender pelo menos o básico do que se trata cada um dos critérios.

Por isso, no artigo de hoje eu vou contar para você quais são os 11 principais passos que você deve seguir para analisar ações de forma segura, rápida e objetiva.

Vamos lá?

Antes de Começar,

A primeira coisa que você deve saber é que os critérios de análise de ações que eu vou deixar aqui são Fundamentalistas. O que isso quer dizer?

Quando você vai fazer uma análise de ações você pode escolher se irá realizar uma Análise Técnica ou uma Análise Fundamentalista.

A Análise Técnica é baseada nos demonstrativos, nos gráficos da empresa. Uma análise geralmente feita de curto prazo: meses, semanas ou até dias.

Por outro lado, a Análise Fundamentalista, como o próprio nome já diz, tem relação aos fundamentos daquela companhia. Uma análise de longo prazo, mais concreta e menos volátil que a anterior.

É com base nesta segunda análise que irei enumerar os 11 passos para analisar ações que você verá abaixo.

Os 11 Passos para Analisar Ações

Imagem de quadro com diagrama decorativo

Para que você consiga analisar ações de uma maneira segura, de maneira que diminua consideravelmente o risco do investimento, é preciso que você observe alguns critérios específicos das empresas que você deseja investir.

Importante ressaltar que os critérios que vou mostrar a você aqui não foram tirados da minha cabeça nem nada disso. São baseados no método de análise de ações de Benjamin Graham — mentor de Warren Buffett e autor do livro O Investidor Inteligente.

Além disso são os 11 parâmetros utilizados pelo GuiaInvest no Checklist Fundamentalista, uma ferramenta que ajuda diariamente milhares de pessoas comuns a investirem na Bolsa com segurança.

Importante: Para que uma ação seja considerada boa ela não precisa, necessariamente, atender a todos os itens. Você pode ter preferência pelos que achar mais importante ou escolher as ações que atendam ao maior número deles.

Chega de enrolação, bora pro primeiro critério!

1) Valor de Mercado

Procure uma empresa cujo valor de mercado seja maior que 500 milhões. Isso vai ajudar a superar todos os tipos de problemas que podem surgir, sejam eles econômicos, políticos, etc.

2) Governança Corporativa

Ter um bom nível de Governança Corporativa é importante para que você tenha certeza da transparência da companhia. Você irá se tornar um sócio dela, é importante confiar nos demonstrativos, etc.

3) Liquidez Corrente

Liquidez corrente quer dizer “ativo circulante / passivo circulante”. Um indicador que revela quanto a empresa tem a receber no curto prazo em relação ao que deve no mesmo período. Ela deve ser maior que 1,5x.

4) Retorno Sobre Patrimônio Líquido (ROE)

O ROE dos últimos 12 meses deve ser maior do que pelo menos 20%. Isso mostra a rentabilidade que a empresa está gerando sobre seu capital próprio.

5) Dívida Bruta / Patrimônio Líquido

A Dívida Bruta da empresa dividida pelo Patrimônio Líquido da mesma deve ser menor que 50%. Isso porque quanto maior esse número, mais risco financeiro a empresa está correndo.

6) Crescimento de Lucros

Você aceitaria ser sócio de uma empresa que não tem lucro? Então esse critério é muito essencial para analisar ações! Busque empresas com crescimento de lucros constante nos últimos 5 anos.

7) Lucros Constantes

Além de possuir crescimento dos lucros, é fundamental que a empresa apresente uma sequência de lucros constantes. Dessa forma, você saberá que a companhia busca uma certa estabilidade.

8) Distribuição de Dividendos

Dividendo é bom, mas não é tudo! Não é porque a empresa não paga dividendos que ela não é boa. Mas se você busca aumentar seu patrimônio, então é importante que a empresa venha distribuindo pelos últimos anos.

9) Preço / Valor Patrimonial (P/VPA)

Este critério mostra o quão “barata” está a empresa, e deve ser menor que 2x. É uma comparação do valor de mercado com o valor contábil. Quanto mais baixo este índice, mais barata é a empresa.

10) Preço / Lucro (P/L)

O PL é a divisão do valor de mercado da empresa pelo lucro do último ano (12 meses), deve ser menor que 15x. Esse critério indica o número de anos que você levaria para recuperar o capital investido. Sendo assim, quanto menor, melhor.

11) Volume Médio Diário (21d)

Esse índice mostra o volume médio de negociações de determinada ação nos últimos 21 dias. É importante que seja superior a R$ 1 milhão pois, mostra que a ação tem bastante liquidez, o que é ótimo.

São só estes critérios?

Não, existem outros dados que também são relevantes, mas podem ser considerados secundários, como: o Ebitda, Dividend Yield, Payout, Dívida Bruta, entre outros. No entanto, lembre-se que quanto mais você conhecer cada um dos critérios existentes, melhor e mais segura será a sua análise.

Onde fazer a análise?

Imagem de quadro com diagrama decorativo

Agora você já sabe O QUE analisar, mas ONDE fazer essa análise? Para isso, o melhor é você contar com uma plataforma que disponibilize a você todos os dados num só lugar.

A melhor plataforma que eu conheço — e juro que não é porque eu trabalhei lá — é a do GuiaInvest.

Você pode fazer uma conta gratuita, com funções limitadas, ou optar por uma conta PRO (é a que eu tenho). Lá você consegue olhar o Raio X das ações e identificar cada um dos pontos que mencionei para fazer uma análise manual.

Se desejar ainda mais segurança e praticidade, pode optar por fazer a análise de forma automática através do Checklist Fundamentalista, que já mencionei ali em cima.

O checklist é uma ferramenta que vem junto com o GuiaInvest PRO, mas que também pode ser comprada separadamente.

Basta você colocar o código da ação e o resultado aparece instantaneamente.

Essas são as principais maneiras que eu utilizo, pessoalmente, para analisar ações. Espero que tenha servido de inspiração para que você se sinta mais à vontade para começar este investimento tão promissor.

Conclusão

Que existem riscos no mercado de ações, todo mundo sabe! Então o que a gente puder fazer para evitá-los ao máximo, melhor é! Você não acha?

Por isso, para analisar ações com confiança e objetividade, você deve se munir de conhecimento, experiência (que se ganha na prática) e também contar com ferramentas automáticas caso ache necessário nesse início. :)

Espero que você tenha gostado da leitura! Deixe um comentário aqui embaixo pra me contar o que achou, tirar uma dúvida ou mandar uma sugestão.

Me conte: o que está faltando pra você começar a lucrar com ações?

Até a próxima!